Tag Archives: roteiro

Roteiro teórico: Off-Road entre Jundiaí, Itatiba e Jarinu (Morro Azul e Fazenda Sant’Anna)

As chuvas de Dezembro parecem estar seguindo fielmente a lei de Murphy… Há vários finais de semana que só chove, e mesmo quando dá uma manhazinha de tempo ‘nublado’ as chuvas dos dias anteriores foi tão intensa que qualquer offroad vira uma loucura (principalmente com pneus sem cravos).

386743_228233030585383_1072180837_n

 

Mas além das chuvas, o verão no sudeste brasileiro também nos beneficia com dias longos (amanhecendo 6 da madruga e o sol se pondo somente 8 da noite), logo pensei num jeito de matar as lombrigas mesmo durante os dias de semana: Levantar cedo e andar das 6 às 8 da manhã, ou saindo do trabalho andar das 6 às 8 da noite.

Logo passei a última semana fuçando no Wikiloc por trilhas perto de casa (principalmente por trilhas curtas, de bicicleta) e usei uma manhã e uma noite para explorar duas trilhas que eu achei:

Zona Rural Itatiba e Jarinu, Morro Azul

Screenshot from 2016-01-07 11-32-05

Link para o Wikiloc: http://www.wikiloc.com/wikiloc/view.do?id=11882206

Trilha que sai da SP-063 (Rod. Alkinar Monteiro Junqueira, ligando Itatiba até Bragança Paulista), passa por um bairro de chácaras e belas propriedades rurais (perto da Quinta da Baronesa), por baixo da Rod. Dom Pedro, e depois segue até perto de Jarinu e depois pelos bairros de Tijuco Preto e Morro Azul, chegando novamente em Itatiba às margens da SP-063.

Fiz um video deste caminho completo (aproximadamente 49 minutos) e posso dizer que fiquei muito satisfeito com a trilha, principalmente no bairro Morro Azul onde há uma subida desafiadora na terra.

Pinheirinho, Faz. Sant’Anna, linda trilha zona Rural Itatiba e Jundiaí

Screenshot from 2016-01-07 11-32-31

Link para o Wiloloc: http://www.wikiloc.com/wikiloc/view.do?id=11880172

Trilha que sai da SP-063 (Rod. Romildo Prado, ligando Louveira a Itatiba/Jundiaí), passeia pela zona rural e alguns bairros de chácaras até chegar no parque da cidade de Jundiaí (Bairro Pinheirinho). Depois segue por rodovias em direção a Jarinu, entrando no bairro de Roseira  e seguindo até atravessar a fazenda Sant’Anna e sair no parque da cidade de Itatiba.

Infelizmente fiz um video deste roteiro mas há algumas fotos no Wikiloc.

Roteiro teórico: O melhor da zona Rural de Itatiba e Jarinu (Morro Azul, Fazenda Sant’Anna)

Link para o Google Maps: https://goo.gl/maps/epjFn5cvdDS2

Feitas estas duas trilhas eu percebi que uma passava muito perto da outra, e que a região mais bonita era realmente aquela que ficava entre Itatiba e Jarinu. Resolvi tentar juntar as melhores partes dos dois roteiros acima no Google Maps e foi isso que deu:

Screenshot from 2016-01-07 11-15-57

São no total 106km saindo de Vinhedo o que creio que vá demorar umas 2 horas e meia num bom ritmo (sem paradas), ideal para tentar fazer caber num dia de trabalho durante o verão. Este caminho será 50% off-road, sendo 25% feito de caminhos relativamente desafiadores onde eu não recomendaria fazer em piso húmido (dê uns 3 dias para secar pelo menos).

Pretendo fazer este roteiro em breve, posto videos se possível.

— update —

Converti o mapa acima para .gpx e fiz um roteiro no Wikiloc (pontos de início e fim infelizmente se perderam):

Screenshot from 2016-01-07 16-15-10

-Klaus

Roteiro teórico: Torrinhas, Rio Tietê

Passei as férias de final-de-ano em São Pedro, aproveitei para dar umas voltas no lugar (de carro). Já conhecia o caminho subindo a serra até Itirapina (recomendo), mas visitando o local me deu algumas idéias malucas..

Segue um roteiro que acho que dá certo para motos big-trail:

Roteiro Torrinhas e São Manuel

 

 

 

Google Maps

A idéia era tentar misturar algumas estradas cênicas, asfaltadas ou de terra batida (bom para andar no seco sem preocupações). Se pudesse, acompanharia melhor o Rio Tietê, mas até agora é isso que deu para plotar/imaginar.

 

-Klaus

Serra de Tapiraí e Juquiá, SP-079 Rod. Tenente Celestino Americo

Roteiro no Google Maps: https://goo.gl/maps/ahgwF6b2fK72

 

Finalmente achei tempo para descrever um rolê que fiz durante minhas férias. A intenção era seguir a dica de um bom colega de forum e descer a Serra entre Tapiraí e Juquiá.

Pra variar não consegui sair de casa antes das 9 da manhã (crianças na escola, reforma na casa etc) e quando saí o tempo já não estava lá estas coisas.. coloquei a capa de chuva debaixo do banco, GPS no iPhone com Sportount e Rainguard da Tigra e lá fui eu em direção a Itu e Sorocaba.

Fiz uma Parada no alto da Serra, num posto com o sugestivo nome de “Último refúgio da Neblina”. Já iam-se umas duas horas de viagem e não pegava mais sinal de celular, então nem dava para avisar em casa onde eu estava. Fui ligar minha câmera GoPro e vi que havia deixado o cartão de memória em casa (fique P da vida). O tempo parecia péssimo, mas resolvi continuar.

IMG_1041 IMG_1042

Logo passei a cidade de Tapiraí, e depois de vários avisos de como a serra à frente era perigosa (proibido caminhões em certos dias e condições climáticas), resolvi continuar mesmo assim (alvará dado é alvará cumprido). Em Tapiraí mesmo começou a cair uma chuvinha. Não era forte mas era daquelas que duram dias…

Quando comecei a descer a serra, mais parecia uma estrada de parque abandonada. Sério, a estrada passa por dentro de mata Super-mega FECHADA. Não havia movimento algum. NENHUM (fiquei mais de 40 minutos sem cruzar com um sequer carro). O asfalto não é bom mas nem tinha muito como, parece que ali é chuva todo o tempo e, como já disse, liga nada a lugar nenhum.

Ao contrário do que poderia esperar, com toda aquela chuva, uma estrada praticamente abandonada e no meio da mata fechada, comecei a relaxar de um jeito surpreendente… De repente estava gostando, curtindo aquela chuvinha.. Andando em baixas velocidades (não dava para passar de 40km/h), a chuva se tornou refrescante, a paisagem (só mato, nenhum panorama) se tornou interessante comecei, até o silêncioso motor da Tiger estava contribuindo para esta experiência meio ZEN.

Foi com surpresa que encontrei um restaurante (Parada Cabeça Da Anta), dito aberto 24h todos os dias, no MEIO do nada.  Parei, ainda chovia bastante, mas nem entrei no restaurante. Nem esquentei. Tirei foto de uma biquinha ali do outro lado da estrada e continuei.

IMG_1043 IMG_1047 IMG_1048

Depois de mais meia hora descendo cheguei ao que aparentemente era a base da Serra. O clima mudou sensivelmente – ainda chovia, mas já estava um certo “calor de praia”.. Vendedores de palmito e banana anunciavam que eu não estava totalmente errado.. Estava sim há 100km do oceano, mas ali era a baixada já. E de quebra começava a chegar perto da civilização novamente. Parei para tirar fotos do Rio Juquiá.

IMG_1051 IMG_1052 IMG_1053 IMG_1061 IMG_1059

Chegando em Juquiá, não me surpreendeu que a cidade não surpreende. Me lembrou a parte mais humilde de Peruíbe, Itanhaém, aquela onde parece chover mais do que qualquer coisa. Parei no que me parecia o único posto com conveniência da cidade, comi uma pizza congelada destas do AM-PM, abasteci e peguei a BR-116 (Regis Bittencount) para voltar.

IMG_1063 IMG_1064 IMG_1065 IMG_1066

Foram mais 3 horas de viagem aproximadamente, e fiquei COM DÓ do pessoal que ia sentido curitiba.. Mais de 50km de congestionamento pelas minhas contas.. Infinitos caminhões, serra molhada, obras, cheiro de embreagem e freio.. Enfim um horror aquela serra do cafezal.

Chegando perto da Capital peguei o Rodoanel “daquele jeito” (muito medo de assaltos naquela região) e Cheguei em Vinhedo lá pelas 5 horas da tarde.

Fiquei muito satisfeito com a aventura. Espero poder repetir mais vezes. Com sorte, o tempo um dia melhora por ali e quem sabe dá para descer pela SP-139, que não está pavimentada? Será que é muito off-road? Deixe seus comentários abaixo.

-Klaus

Represa de Atibainha, Bar do Taíde, Bairro do Pião

Dia 23/Outubro último foi meu primeiro dia de férias. O tempo não estava lá muito bom e eu tinha que resolver algumas pendências na parte da manhã, mas chegou 11 horas resolvi sair de moto.

Para tanto, usei um dos roteiros que havia planejado antes, e peguei a estrada em direção a Nazaré Paulista.

Em Nazaré abasteci e pude pegar algumas dicas de onde almoçar. Acabei optando por almoçar à beira da represa no restaurante e marina Riviera de Nazaré (peixe ao molho de espinafre – muito bom), e logo depois parti em direção à represa (placas indicam “Parque das Águas” se não me engano).

Veja video do trecho do restaurante até o Bar do Taíde abaixo:

Apesar de algumas chuvas nos dias anteriores, a estrada de terra estava bem razoável, sem maiores problemas, e depois de uns 40 minutos estava chegando ao Bar do Taíde.

Saindo de lá resolvi continuar, mas ao invés de voltar à Rod. Dom Pedro, continuei em direção ao Bairro do Pião em Piracaia (pegue à esquerda ao invés de direita após a primeira ponte sobre o rio).

Em poucos minutos de estrada de terra muito boa e bem conservada, cheguei à estrada que liga o centro de Piracaia ao Bairro do Pião.

Toda pavimentada com asfalto muito bom, cheia de curvas e paisagens, esta estrada de 22km mereceu os dois videos abaixo (resumo e completo, respectivamente):

 

As direções detalhadas do trecho off-road se encontram no wikiloc, e algumas fotos se encontram na galeria abaixo.

Rolê de 18/Out/2015 – Joaquim Egídio até Amparo, Morungaba ate Itatiba, Itatiba até Jarinu

 

Screenshot from 2015-10-20 11-42-37

Este último final-de-semana não havia planejado andar de moto. Nos grupos de Whatsapp e Foruns ninguém havia se manifestado para um rolê aqui por perto, e eu tinha alguns compromissos no sábado, e no domingo de manhã.

Mas depois de cumprir com os compromissos familiares, a segunda-feira já se aproximava e eu ainda me sentia exaurido mentalmente.

Surgiu uma oportunidade de dar uma saidinha de moto e não tive dúvida: Vamos andar por qualquer lugar por aí…Amparo-1

Acabei saindo de Vinhedo pela Rod. Edenor João Tasca, e depois segui até Valinhos pela estrada Velha Itatiba – Valinhos.

vlcsnap-2015-10-20-12h11m20s775Em Valinhos atravessei para Joaquim Egídio pela Terra (Rua Valentim dos Santos Carvalho) e de lá segui em direção ao Bar do Vicentão, depois sobe o famoso “K2” que desafia tantos ciclistas (mas de moto nem se percebe), desce para perto do Rio Jaguari (onde haviam muitos banhistas) e dá uma passadinha na frente das antigas antenas da Embratel (veja video abaixo):

Em seguida segui em direção a Amparo por um subidão (veja video abaixo), saindo da elevação 730m até aproximadamente 1040m em poucos minutos:

vlcsnap-2015-10-20-12h12m07s857Em cima do Altiplano há uma tremenda vista para toda a região, e a estrada passa pela frente dum hotel aparentemente bem legal, chamado Lake Villas Charm Hotel & SPA.

Depois de mais algumas retas longas e subidas bacanas, a estrada de terra termina no asfaldo da Rodovia SP-360, a famosa rodovia recentemente renovada que liga Morungaba a Amparo, procurada por motociclistas pelas suas ótimas curvas.

Optei por ir para Morungaba e parar no posto de gasolina em frente ao Art-Café para contemplar o pó em que estava a minha Tiger 800 XCx.

Mas a aventura não parou por aí. Como ainda havia ‘tempo’ no meu alvará, resolvi sair explorando.

Retornando à Rod. SP-360, desta vez em direção a Itatiba, resolvi pegar à esquerda numa estradinha de terra que já havia observado “com inveja” durante as muitas vezes que fiz esta rodovia de KTM 990 SMR.morungaba-1

A boa novidade é que esta estradinha passa por alguns lugares bem bonitos e bem rapidamente sai na Rodovia SP-063 ligando Itatiba a Bragança Paulista.

Não satisfeito com tão pouca aventura, resolvi investigar OUTRO caminho que também tinha curiosidade, então segui para Itatiba até o Distrito Industrial, e logo antes do Pedágio peguei a estrada de terra em direção a Jarinu (na verdade a intenção era sair na Rod. Dom Pedro perto do Zooparque Itatiba, mas segui pela via principal e saí em Jarinu).

Em Jarinu, já satisfeito com minha pequena aventura, resolvi voltar para casa pela Rod. Dom Pedro e aproveitar o cruise-control da XCx para relaxar e ouvir música no meu comunicador Sena SMH-10.

Total rodado: 218km em pouco mais de 4 horas (link googlemaps), sendo uns 100km de estradões de terra. Não há dificuldades no caminho, dá para ir de carro tranquilamente apesar de ser num ritmo provavelmente bem menor.

Durante o percurso eu pude gravar alguns dos caminhos que fiz usando o aplicativo Wikiloc, além de gravar dois ou três videos (veja abaixo):

Espero poder fazer este caminho mais vezes.. É suficientemente simples, perto de casa e prazeiroso.

-Klaus

 

Sugestão de Roteiro: Piracaia – Bairro do Pião – Cachoeira dos Pretos – Monte Verde – São Francisco Xavier – Monteiro Lobato – Caçapava

Mais uma sugestão de roteiro para tentar um dia (não tentei ainda, mas parece que é possível fazer num dia):

Screenshot from 2015-10-14 15-14-55

Piracaia – Bairro do Pião – Cachoeira dos Pretos – Monte Verde – São Francisco Xavier – Monteiro Lobato – Caçapava

 

Total de uns 200km a maioria em estradas de terra.. Reserve umas 6 horas pelo menos…

 

Talvez eu tente fazer este roteiro nas minhas próximas férias entre Outubro/Novembro…

Source: de Piracaia, SP a Caçapava – SP – Google Maps